Alimentação e câncer de mama: como prevenir?

Alimentação e câncer de mama: como prevenir?

Nem todos sabem, mas alimentação é um importante fator de prevenção ao câncer de mama.

Em todo outubro rosa, uma campanha sobre a prevenção ao câncer de mama é realizada em prol da vida das mulheres. Por tratar-se de uma doença silenciosa, de fato, os exames regulares são muito importantes.

No entanto, de igual importância, é importante compreender que o nosso estilo de vida também pode levar às doenças. Falando em câncer de mama, pelo menos 90% das suas manifestações estão relacionadas ao estilo de vida.

Se há um hábito que pode definir completamente a nossa saúde é a alimentação. Porque, quando deixamos de nos alimentar com o que nutre o organismo, também costumamos colocar alimentos nocivos à saúde.

Hoje, trouxe um estudo onde relaciona os metais pesados ao risco de câncer de mama. Leia até o final para entender mais.

Crucíferas

Alimentos como brócolis, couve de bruxelas, repolho e couve são ricos em uma substância muito interessante à saúde: o indol 3 carbinol, um antioxidante que atua na modulação dos estrogênios.

Esses hormônios, quando desequilibrados e muito estimulados, influenciam no crescimento das células tumorais. Tanto em quem já conta com tendência genética para o câncer de mama quanto em um processo de câncer já instaurado.

Cúrcuma

A cúrcuma é um ativo com ação altamente anti-inflamatório. Seus benefícios para a saúde são imensos, inclusive, na prevenção de todos os tipos de câncer incluindo o câncer de mama.

Gosto muito da cúrcuma, tanto que fiz um artigo bem completo e você pode conferir aqui todos os detalhes sobre esse alimento.

Pode ser consumida diariamente como tempero ou ingrediente nos alimentos, ou também, na forma de suplemento quando indicado pelo médico.

Frutos do mar

Peixes oriundos do mar, pescados em vez de criados, contam com excelentes concentrações de ômega-3, nutriente que confere nutrição anti-inflamatória e está atrelado à prevenção do câncer de mama.

O krill oil é o óleo de um camarãozinho riquíssimo em ômega-3 e em astaxantina, outro antioxidante muito importante.

É importante escolher um peixe que não esteja exposto á luz na gôndola porque a gordura pode ser contaminada. O peixe também não pode congelar.

Evitar consumo de soja

Em especial meninas com idade de puberdade, não é recomendável consumir soja. Pode ocasionar em alterações hormonais inesperadas. Portanto, nesses casos, a soja em si não é um bom alimento.

Bons níveis de vitamina D

A mulher que alia a alimentação balanceada à exposição ao sol também reduz as chances de desenvolver câncer de mama, afinal, tem uma produção maior de vitamina D.

O hábito de expor-se ao sol é um dos mais baratos, porém, é cada vez mais incomum pessoas que tenham tempo para isso.

Nesse caso, estar com os níveis de vitamina D apenas ideais como mostra nos exames não é suficiente para a prevenção. É importante, sim, atingir níveis ótimos.

Gerenciamento do estresse

Por fim, não se trata de um alimento, mas não custa nada reforçar o quanto estresse e câncer de mama estão ligados, conforme minha colega dra. Bernadete Nonnenmacher tão bem pontuou em seu blog.

A prática da meditação e de ioga são as mais estudadas e comprovadas que combatem os danos do estresse e previnem a sua desregulação hormonal.

Essas são as minhas dicas de alimentação para prevenir o câncer de mama.

Para saber mais, assista ao vídeo abaixo e aproveite para fazer sua inscrição em meu canal do YouTube.

Conheça o método para viver com muita saúde e energia.