Alimentação e depressão infantil estão relacionadas?

Alimentação e depressão infantil estão relacionadas?

Você conhece a relação entre alimentação e depressão infantil?

Ao ver uma criança sem energia para brincar e estudar, logo imaginamos que muitos fatores ambientais estão envolvidos. Será que ela está sofrendo bullying? É falta de adaptação à nova escola?

Esses são os questionamentos mais comuns. Porém, poucos questionam sobre a alimentação dessa criança. Sim, a alimentação tem relação com o humor, o rendimento escolar e a energia para realizar as atividades diárias.

Eu sou Andreia Friques, nutricionista materno-infantil e hoje vou usar o espaço do Dr. Victor Sorrentino para explicar a você o que tem a ver a alimentação e depressão infantil. Afinal, eu o dr. Sorrentino acreditamos que quanto mais cedo os hábitos saudáveis forem adotados, maiores as chances de uma vida longa e saudável.

Por isso, trouxemos a este blog um assunto tão pouco abordado por profissionais de saúde.

Leia também: Hábitos que podem acrescentar 10 anos de vida

Por que a má alimentação causa depressão?

Se os alimentos industrializados e ricos em açúcares já afetam o humor dos adultos, imagine das crianças. Todos nós temos pensamentos e sentimentos que são reflexos de reações químicas complexas em nosso cérebro.

São os neurotransmissores que definem nosso bem-estar. Um dos mais importantes nesse sentido é a serotonina, sendo que sua produção tem tudo a ver com um intestino saudável. Se você acompanha este blog sabe da relação entre cérebro e intestino para uma vida longa e plena. É esse o equilíbrio que todos precisamos para lidar com os pontos altos e baixos do cotidiano.

Assim, se os neurotransmissores da criança não estão em harmonia, a dificuldade está muito além de obter ânimo e energia. Diante das dificuldades, o pequeno não terá forças para reagir. Basta uma nota baixa para ele entrar em uma cadeia de maus acontecimentos.

Quando um revés acontece, dando o exemplo da nota baixa, a criança deve ser incentivada a estudar e sentir esse estímulo. Em vez disso, ela certamente vai se sentir golpeada e desanimada, levando a mais notas baixas.

A partir daí, o trabalho para reanimar essa criança é muito mais difícil. É como um efeito dominó que pode ser evitado ao parar a primeira peça caída.

Os alimentos vilões da criança

Ao ver uma criança desanimada, é comum os pais desejarem agradar de diversas formas, inclusive uma delas é oferecendo doces como recompensa. Isso tem que acabar.

Alimentos como refrigerantes, cereais refinados produzidos com farinha branca e ricos em açúcares, infelizmente, são calorias vazias. Ou seja, em nada acrescentam para a boa nutrição infantil.

As gorduras saturadas também são péssimas opções para as crianças com problemas emocionais. É melhor passar longe de nuggets, comidas de fast-food, coxinhas, batatas fritas e outros.

Além de investigar as causas psicológicas, é preciso que essa criança tenha uma alimentação rica em nutrientes. Por isso, invista em frutas, verduras, cereais integrais e muita água.

Sei o quanto muitas vezes é complicado oferecer esses itens. Por isso, fiz um curso onde ensino receitas saudáveis, divertidas e deliciosas, o Lancheira Saudável. A sugestão é para que sejam enviadas como lanche escolar, mas podem ser preparadas e oferecidas em outras ocasiões.

Uma vida longa, plena e saudável depende de bons hábitos que, quando cultivados desde os primeiros anos de vida, diminuem as chances de desenvolver doenças crônicas de ordem física e emocional.

Espero ter explicado a relação entre a a alimentação e depressão infantil. Para saber mais sobre este e outros assuntos, convido a conhecer minhas redes sociais Youtube, Instagram e Facebook, meu site e meu blog.

Antes de ir embora, um recado do Dr. Sorrentino

A depressão é um dos fatores mais fortes de desencadear casos de suicídio. Essa doença deve ser a mais incapacitante do mundo até 2020, conforme dados da própria Organização Mundial da Saúde – OMS.

Diante desse quadro, devo fazer minha parte enquanto médico. Quero ajudar você e sua família a passar longe da depressão e suas consequências. Por isso, durante o Setembro Amarelo, você tem o Segredos para uma Vida Longa com oferta especial.

Obtenha o Curso Segredos para Uma Vida Longa com R$ 300 de desconto no link abaixo:

Curso Segredos para uma Vida Longa.

Conheça o método para viver com muita saúde e energia.