Alimentação e dores de cabeça: não ignore essa relação

Alimentação e dores de cabeça: não ignore essa relação

Você conhece a relação entre alimentação e dores de cabeça? Este é um assunto pouco explorado por profissionais de saúde. Por isso, aposto que a resposta é “não”.

As dores de cabeça são muito mais atribuídas a questões como estresse, pouco sono ou alguma patologia. Partindo daí, o caminho é bem óbvio: o uso de medicamentos. Foco em silenciar os sintomas sem tratar as causas. Sobre esse tema já falei aqui.

A boa notícia é que você pode se livrar das dores de cabeça ao cuidar da alimentação.

Se você deseja mais produtividade e melhores relacionamentos sem estragar a sua saúde, leia este artigo até o final.

O que liga a alimentação às dores de cabeça

A dor de cabeça constante costuma ter um fundo de problema alimentar. Quando essa dor vem acompanhada de uma forte fadiga, as chances de ter relação com algum desequilíbrio da alimentação é ainda maior.

É provável que exista algum alimento sugando a energia dessa pessoa. Mas, como sabemos o que causa a dor de cabeça? É preciso investigar a fonte intestinal.

Sim! As dores de cabeça podem ser ocasionadas por alguma disfunção que o alimento causa não diretamente no cérebro, mas indiretamente via intestino.

Quando um item consumido exige uma alta dose de energia para ser processado pelo organismo, a dor de cabeça constante junto de fadiga é uma das consequências.

Ao investigar a fonte intestinal, é preciso detectar qual é o alimento – ou o grupo de alimentos – que ocasiona um maior desgaste energético no local, afetando a região da cabeça.

Quais os alimentos que causam dor de cabeça?

Os alimentos com ação inflamatória em uma pessoa podem não exercer o mesmo efeito em outra. Essa é uma questão bastante individual.

No entanto, é claro que alguns grupos alimentares são mais propensos a causarem esse tipo de desconforto. Aqui, figuram principalmente os alergênicos. Mesmo que você não tenha qualquer alergia ou intolerância.

Em especial os alimentos que, além de contarem com a lactose, ainda passam por processamento, são grandes candidatos a vilões da sua dor de cabeça.

O mesmo vale para o glúten. Ele está presente em praticamente todos os alimentos baseados na farinha de trigo. Em conjunto com ingredientes que costumam acompanhar, como o açúcar e o amendoim, pode desencadear crises de enxaqueca.

Existem alguns itens industrializados que também devem ser evitados por aqueles que contam com dores de cabeça, tais como o aspartame, o glutamato monossódico, os conservantes e corantes.

Devo mudar minha alimentação por conta própria?

Manter o acompanhamento médico e nutricional é muito importante para implementar modificações na sua alimentação. Tudo que você não precisa quando sofre com enxaquecas e cefaléias é ficar ainda mais doente devido à má alimentação.

Oriento que meus pacientes deixem de consumir alguns desses grupos de alimentos durante algum tempo e observem como se sentem. É comum que, ao deixar de consumir glúten, lactose ou industrializados, as dores de cabeça desapareçam ou pelo menos fiquem mais leves.

Conforme expliquei acima, a reação do organismo é bastante particular. Por isso, corte um grupo de cada vez. Assim, você controla a agressão ao seu intestino que desencadeia os processos das dores de cabeça e consegue identificar exatamente o que não cai bem para o seu corpo.

Espero que você compreenda com este artigo a relação entre alimentação e dores de cabeça. Para saber mais, assista ao vídeo abaixo e aproveite para se inscrever em meu canal do YouTube.

Para saber:

Como envelhecer sem engordar, sem adoecer e sem perder a memória
Como emagrecer com saúde e manter-se magro definitivamente
Como mudar hábitos que são tóxicos a sua saúde
Como acordar todos os dias com energia e disposição
Como se livrar de remédios que mais intoxicam do que curam
Como manter a libido em todas as idades

Conheça o meu curso online com mais de 80 aulas, 3 cursos bônus e
um grupo com LIVES exclusivas para alunos no Facebook!

SEGREDOS PARA UMA VIDA LONGA

Acesse mais informações no site do curso:

Segredos para uma vida longa

Conheça o método para viver com muita saúde e energia.