Centenas de substâncias utilizadas tradicionalmente na prática “não-ortodoxa” vêm sendo agora estudadas pela ciência, afim de realmente comprovar ou não seus efeitos.

 

Eu sou obrigado a reconhecer que durante boa parte de minha vida, não só negava estes conhecimentos, bem como não procurava nem mesmo buscar saber se tinham ou não propriedades benéficas para o corpo humano. Em parte culpa minha pela falta de interesse, em parte culpa da formação médica, que só ensina aos estudantes a respeito de medicamentos produzidos e vendidos pela indústria farmacêutica. Atualmente tenho pesquisado muito sobre tudo aquilo que me era negado, uma vez que tive a oportunidade de passar por um “choque” pessoal e profissional, quando abri minha mente, mantendo o ceticismo característico de quem trabalha com ciência.

 

Hoje vamos falar sobre uma das substâncias que são usadas há milhares de anos pela medicina. Por mais de 2.000 anos, naturopatas chineses vêm recomendando esta erva para ajudar o corpo humano a produzir energia e resistir a doenças, desde o câncer, doenças cardiovasculares, hepáticas, problemas renais, diabetes e infecções variadas. É de fato uma das ervas mais comumente usadas na medicina tradicional chinesa. O que aconteceu, foi que a pressão dos resultados e dos efeitos benéficos práticos foram tão grandes, que alguns pesquisadores isoladamente passaram a pensar na possibilidade de que o Astragalus pudesse agir como coadjuvante afim de aumentar a resposta imune e diminuir os efeitos colaterais da quimioterapia. A partir daí, abriu-se um leque enorme de resultados positivos sobre o corpo humano.

 

O Astragalus, também conhecido como  ervilhaca de leite, Huang Qi, huang ch ‘, Ogi, hwanggi, bei qi, radix astrágalos, chifre de cabra, dragão verde, astrágalo, de nome científico Astragalus membranaceus é classificado como um adaptógeno, que significa que é uma substância que auxilia o metabolismo humano contra agressões diversas, incluindo física, mental ou emocional.

 

Tal como o Astragalus, existe uma série de substâncias que se incluem nesta classe dos adaptógenos e são usadas principalmente para atenuar o efeito do hormônio do estresse, Cortisol, pois quando este hormônio está aumentado, danifica conexões de neurônios, prejudica a produção dos demais hormônios, baixa a imunidade, entre outros efeitos diversos adversos prejudiciais.

 

Saibam que a história desta erva é muito interessante. Há cerca de 5000 mil anos, somente os membros da família do Imperador é que eram autorizados a fazer uso desta erva. Aqueles que não eram membros, podiam ser condenados a morte caso fossem pegos fazendo uso. Era conhecida como elixir da Longevidade! O engraçado e interessante é compreender hoje, à luz da ciência, que estas práticas milenares tinham realmente uma comprovação não somente prática, como também científica; só não eram estudadas.

 

Bem, quero que você saiba que ela contém antioxidantes, que protegem as células contra danos causados por radicais livres. E aqui estamos falando novamente de ciência meus amigos. Só para que ninguém pense que oxidação e radicais livres são panaceias, aqui vai a lembrança de que já foi motivo de Prêmio Nobel de Medicina. Acredito que nada mais científico de que um prêmio Nobel, não é mesmo? Então vocês já sabem, se algum profissional da área da saúde por acaso dizer que “esta história de antioxidantes” não é científico e faltam estudos, envie de presente um link deste post, ok?

 

Nos Estados Unidos, os investigadores têm procurado em astrágalo como um possível tratamento para pessoas cujo sistema imunológico tenha sido enfraquecido por quimioterapia ou radiação. E enquanto a indústria farmacêutica não encontra um meio de produzir algum tipo de “análogo” desta substância, ou seja, enquanto não conseguirem inventar quimicamente uma substância parecida, com a possibilidade de patenteá-la e assim enriquecer vendendo para profissionais da área da saúde, talvez você nunca mais ouça ninguém falar a você sobre o assunto. Podem ter certeza de que no momento em que conseguirem isto, um dia após estarão distribuindo amostras grátis aos médicos, ensinando como devem usar e assim nascerá mais uma medicação.

 

A evidência científica da capacidade do astrágalo para melhorar o sistema imunológico e combater doenças, incluindo câncer e doenças do coração, vem principalmente de estudos de laboratório.. Pesquisadores da Universidade do Texas MD Anderson Cancer Center descobriu que o extrato de astrágalo impulsionou a célula destruindo a capacidade, ou citotoxicidade, da droga sistema convencional imune interleucina-2 (IL-2), ajudando as células do sistema imunológico e parcialmente restaurar a função imunitária de células em tubos de ensaio. Alguns estudos têm sugerido que ela pode reduzir a duração de resfriados. O Astragalus pode estimular o organismo a produzir interferões, um grupo de substâncias usadas pelo corpo para se defender contra infecções virais.

 

Embora os estudos em animais de laboratório se mostrem promissores, mais estudos são necessários para descobrir se os resultados se aplicam aos seres humanos. Alguns estudos em humanos têm sido feitos, principalmente na China, e alguns sugerem que esta erva pode ajudar as células do sistema imunológico em pessoas que têm câncer.

 

Amigos, o que estou fazendo é simplesmente apresentar a vocês um suplemento que é vendido nos Estados Unidos (do qual faço uso, ou seja, acredito), entretanto não quero dizer aqui que todos devem usar indiscriminadamente. Muitas farmácias de manipulação o Brasil têm esta substância, portanto ela já é prescrita há algum tempo pelos profissionais que a conhecem (principalmente os praticantes da Medicina Tradicional Chinesa). Mas reflitam comigo, se cada área médica e cada tipo de medicina alcança resultados benéficos com linhas interessantes de tratamento, existe motivo para haver uma “briga” entre as medicinas? Porque não fazer um entrelaçamento dos conhecimentos e somar no único objetivo da medicina: a saúde das pessoas?

 

Quero lembrar também que pessoas com doenças auto-imunes (como a artrite reumatóide ou lúpus) ou pessoas que tomam medicamentos que suprimem o sistema imunológico (como corticóides ou ciclosporina) devem conversar com seus médicos antes de tomar esta erva.

 

Aqui termino este post curto e leve, bem diferente dos que habitualmente costumo escrever, mas pouco a pouco irei colocar a disposição de todos informações sobre suplementos que talvez vocês nunca tivessem a oportunidade de conhecer, ok?

Leia também meu artigo com 22 Dicas Práticas para Melhorar a Qualidade de Vida
Dr. Victor Sorrentino