Como o uso de celular antes de dormir afeta o sono?

Como o uso de celular antes de dormir afeta o sono?

O uso de celular antes de dormir tornou-se hábito para muitas pessoas.

Nem todos entendem o quanto pode ser prejudicial para a saúde. Hoje, o aparelho faz parte da vida de todos nós. Não é raro encontrar quem tenha dificuldade em desconectar-se da tela antes de dormir.

No entanto, a ciência já estuda os efeitos dessa vida com os olhos em frente às telas por longos períodos do dia, inclusive antes de dormir.

Poucos sabem, mas a luz emitida pelos celulares, notebooks e até televisores é inibidora do hormônio do sono, a melatonina.

É a chamada luz azul. Embora pareça amarela, na verdade, é assim que é percebida pelo cérebro, pois é azul.

O que diz o estudo?

De acordo com periódico da Harvard Health Publishing, o comprimento de luz azul aumenta a atenção, o foco e o tempo de reação. Tudo isso é altamente benéfico para as atividades do dia a dia.

Porém, à noite, ela causa o oposto efeito: é extremamente prejudicial à qualidade do sono, uma vez que interfere na produção de melatonina e, por consequência, no ciclo circadiano.

Alguns estudos, inclusive, já sugerem uma ligação entre a exposição à luz à noite com alguns tipos de câncer, diabetes, doenças cardíacas e obesidade.

Isso não prova que a exposição noturna à luz seja a causa essas condições, mas sugere que pode existir ligação entre os quadros.

A mesma publicação trouxe, ainda, um estudo da Universidade de Toronto, onde foi feita uma comparação entre os níveis de melatonina de pessoas que expostas à luz interna brilhante que usavam óculos de bloqueio de luz azul com pessoas expostas à luz fraca normal sem usar óculos.

Como os dois grupos tiveram os níveis hormonais parecidos, ficou constatado que luz azul é um potente supressor de melatonina. Saiba mais sobre a melatonina neste artigo.

E a exposição à luz de LED?

Além dos celulares, as as lâmpadas fluorescentes compactas e lâmpadas LED já fazem parte de nossas vidas.

São muito mais eficientes em termos de energia do que as lâmpadas incandescentes antigas. Mas, também tendem a produzir mais luz azul.

Assim, essas questões ambientais podem entrar em conflito com as questões de saúde.

Richard Hansler, pesquisador de luz na John Carroll University em Cleveland, salienta que as lâmpadas incandescentes comuns também produzem certa quantidade de luz azul.

Porém, menos do que a maioria das lâmpadas fluorescentes.

Como evitar a luz azul?

Hoje em dia, é praticamente impossível evitar o contato com a luz azul.

Entretanto, é perfeitamente possível diminuir os efeitos nocivos ao tomar alguns cuidados:

  • Evitar o uso de telas por, pelo menos 2 horas antes de dormir;
  • Durante a noite, dê preferência a luzes incandescentes ou mais fracas, que tenham menos influência na melatonina;
  • Configure suas telas para que tenham brilho mais ameno a partir das 18 horas;
  • Sempre que possível, fique exposto ao sol durante o dia para melhorar a qualidade do sono.

Caso esteja com muitas dificuldades para dormir, converse com seu médico. Ele pode te examinar e, se for necessário, pode te indicar a suplementação de melatonina.

Espero que este artigo te ajude a entender sobre como o uso de celular antes de dormir afeta o sono.

Assista a minha aula sobre depressão e falta de energia

Dificuldades para dormir e depressão podem ser intimamente relacionados.

Para te ajudar a entender como nossos hábitos de vida influenciam na saúde e bem-estar,  preparei uma aula exclusiva sobre Depressão e Falta de Energia. 

Para assistir, basta clicar no botão abaixo:

Conheça o método para viver com muita saúde e energia.