A dieta em evidência propõe menos carboidrato e menos fome! Vou falar hoje sobre a dieta cetogênica: o que é e como funciona.

 

A história

A história deste método começou na década de 20 como uma alternativa para tratar pacientes com epilepsia com muito sucesso.

Entretanto a dieta se popularizou nos anos 70 quando o filho de um produtor americano muito famoso utilizou a dieta cetogênica e conseguiu controlar o problema. Ele sofria cerca de 5 convulsões por dia e depois de começar a dieta, passou a não ter nenhuma.

Já na década de 80, uma médica americana tratou seu marido que apresentava mal de Alzheimer em um estágio avançado com a dieta cetogênica. Ela se utilizou da inclusão de triglicerídeos de cadeia média, assim como os presentes no óleo de coco.

Esta médica inclusive escreveu um livro muito interessante contando a evolução do caso do marido, e também as reversões que ela conseguiu fazer. Ela conseguiu fazer ele voltar a caminhar e dirigir, tudo através da dieta cetogênica, realmente conseguiu um progresso grande.

 

O que é exatamente a dieta cetogênica

A estratégia presente na dieta é um rearranjo alternativo entre os macronutrientes que devem compor a alimentação. Aqui, a grande fonte de energia passa a ser as gorduras.

Você sabia que consumir gorduras pode ser bom para o seu organismo? Leia o meu artigo: SIM, Você Deveria Ingerir Gorduras. Clique aqui!

As proteínas permanecem sendo consumidas em quantidades adequadas, e os carboidratos em quantidades mínimas. O processo fisiológico do corpo humano é quebrar a gordura em ácidos graxos e corpos cetônicos para obter energia suficiente para os processos celulares.

Sem carboidratos, o corpo é praticamente forçado a quebrar além da gordura que vem dos alimentos, aquela que já está acumulada, a gordura se acumula geralmente devido aos excessos de carboidratos na alimentação, e esse processo todo acaba levando a perder peso.

 

A evolução da dieta lowcarb

Na dieta lowcarb, o consumo de carboidratos é reduzido. Assim, ingerindo mais proteína e gordura, é possível aumentar a sensação de saciedade, o que leva diretamente ao emagrecimento saudável.

Eu considero a dieta cetogênica uma evolução da dieta lowcarb. A dieta cetogênica consiste em reduzir mais drasticamente ainda a quantidade de carboidratos ingerida.

O princípio parte do pressuposto de que diminuindo o consumo do carboidrato, também baixa o estímulo à insulina. Acaba por melhorar o perfil da insulina, aumentando a sua resistência e diminuindo as chances de desenvolver diversos males como diabetes, aterosclerose e até doenças cardiovasculares.

Na dieta cetogênica o consumo de carboidratos é ainda mais baixo portanto os benefícios se potencializam. Nela, o consumo de carboidratos recomendado se limita a no máximo 50g por dia.

Assista meu vídeo sobre dieta Lowcarb aqui!

 

O que acontece no corpo

Os corpos cetônicos são as substâncias formadas pelo fígado depois de processar os ácidos graxos provenientes da gordura ingerida.

O nome dieta cetogênica vem do fato do que os níveis dos corpos cetônicos aumentam quando se pratica esse tipo de alimentação, e eles serão os responsáveis por aumentar substancialmente a energia do cérebro.

O corpo entra em um estado de cetose, e leva a uma otimização da quebra da gordura para obter energia, já que não existe energia suficiente proveniente dos carboidratos. 

Além de tudo isso, o consumo mínimo de carboidratos leva a diminuir os níveis de insulina, o que acaba prevenindo a diabetes e doenças cardiovasculares.

 

Os benefícios

A grande vantagem mora no fato de que, ao baixar muito a quantidade de carboidratos, a insulina também acompanha essa baixa. Quem tem pré-diabetes vai ter uma regressão, quem já tem diabetes e toma medicamento também pode experimentar uma regressão do quadro.

Além da insulina, o corpo todo entra em um estado de sobrevivência positiva. Ele precisa arranjar uma outra fonte de energia para o cérebro.

Importante salientar que os carboidratos são macronutrientes que não são essenciais à vida. Eles não desempenham nenhum papel especial. E o nosso corpo é biologicamente preparado para enfrentar longos períodos de jejum.

Quer entender melhor sobre o jejum intermitente? Clique aqui e acesse o meu artigo Jejum Intermitente: Mito e Benefícios.

O que acontece durante a dieta cetogênica é que o corpo começa a produzir corpos cetônicos e estes vão servir de combustível para o cérebro. Servindo assim, eles acabam diminuindo a necessidade de consumir carboidratos.

 

O período de adaptação

Como toda dieta, a cetogênica tem um período de adaptação. O período de adaptação é necessário, pois o corpo não está totalmente acostumado e já começa a ficar preparado pra isso.

O corpo vai tentar buscar carboidrato. Isso acontece por força do hábito. Estamos acostumados a consumir carboidrato a toda hora, portanto o corpo vai ficar pedindo isso sim no começo. A produção de corpos cetônicos através da gordura não é um mecanismo controlável pelo corpo. E é isso que vai gerar a energia para ser o combustível para o cérebro.

Quando este mecanismo é acionado e o cérebro começa a se adaptar, o que pode levar em torno de 3 a 10 dias. Isso quer dizer que pode levar  cerca de 10 dias para o seu corpo se acostumar a dieta cetogênica. Porém isso pode variar de pessoa para pessoa.

 

O que pode comer

O cardápio da dieta é recheado de ovos, carnes bovinas, suínas e peixes. Legumes selecionados, algumas frutas e vegetais selecionados, abacate e frutas oleaginosas como amêndoas e castanhas, gorduras boas como óleo de coco e manteiga.

Sim, as opções são limitadas. Estas opções devem ser calculadas de acordo com as quantidades de carboidratos que cada pessoa necessita. Esta quantidade será decidida pelo profissional que irá acompanhar sua dieta.  Este também deve indicar o tempo determinado que seguirá com este plano de alimentação.

É necessária a ajuda e acompanhamento de um profissional pois cada organismo é diferente, portanto as necessidades variam a cada caso. Este é o melhor modelo alimentar para a compulsão alimentar, pois a pessoa permanece extremamente saciada.

 

Mais benefícios

Quando o processo de adaptação estiver concluído, o corpo passa a experimentar uma fonte de energia que consegue gerar muito mais energia do que o próprio carboidrato.

A dieta cetogênica alimenta o cérebro de uma forma que não deixa acontecer a baixa de energia. E mais ainda, consegue regular algumas funções cerebrais, como no caso da epilepsia. Tanto é, que a grande maioria dos epiléticos, quando começa a ser tratado com esta dieta, consegue até eliminar medicamentos.

Para concluir, entenda que na dieta cetogênica, com menos carboidrato e menos insulina, o nível de energia aumenta e acontece algo incrível: a fome diminui. Os hormônios que sinalizam a saciedade se elevam e os que sinalizam fome acabam estando menos presentes.

 

Meus conselhos

Fica aqui o meu alerta de que uma dieta cetogênica sempre deve ser acompanhada por um profissional. Portanto caso ache que é o plano alimentar ideal para o seu caso, procure ajuda profissional de um médico e/ou nutricionista.

Em geral os resultados são muito positivos, mas cada organismo é diferente, as diversidades devem ser consideradas para assim setar o melhor para cada um.

Victor Sorrentino