Estresse e doença cardiovascular são interligados, apontam estudos

Estresse e doença cardiovascular são interligados, apontam estudos

Você conhece a relação entre estresse e doença cardiovascular?

A maioria de nós estamos expostos a um nível de estresse muito maior do que deveríamos. Nosso estado de alerta, responsável por liberar hormônios como adrenalina e cortisol, tem uma função evolutiva: proteger a espécie de ameaças.

Há 10 mil anos, qualquer ruído podia representar uma ameaça. Fosse um animal selvagem ou um inimigo. O tempo passou e nosso organismo segue adaptado para uma realidade de cavernas, em meio às matas.

Mesmo que nossa realidade envolva trânsito intenso, sinais sonoros fortes, máquinas trabalhando e muitos outros ruídos. A maioria deles não está ameaçando ninguém. Mas, desencadeia a liberação desses hormônios do estresse.

Essa avalanche de estressores é uma novidade dos nossos tempos. Uma verdadeira bomba de veneno para o nosso organismo. É por isso que o controle do estresse, cada vez mais, torna-se urgente.

O sistema cardiovascular é um dos que mais sofre com os impactos de tanto estresse cotidiano. Por isso, cada vez mais estudos são direcionados para medir o quanto estressores colocam em risco a saúde do coração.

Para saber mais, continue até o final deste artigo.

Quando o estresse eleva o risco de infarto

Um levantamento de dados da Faculdade de Medicina da Universidade de Harvard (EUA) aponta os riscos de entupimento de importantes artérias devido ao estresse excessivo.

Situações estressantes desencadeiam picos de produção dos glóbulos brancos, responsáveis pela defesa do organismo. O problema é que, em excesso, esses glóbulos brancos congestionam as artérias coronárias, dificultam o fluxo do sangue na região e aumenta o risco de coágulos.

Diante desses dados, ficou claro para os cientistas que pelo menos 15% dos casos de infarto são oriundos das situações de estresse excessivo.

Também um estudo conduzido na Suécia com a participação de 136.637 pacientes demonstrou que as reações severas de estresse aumentavam em 64% o risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

Além disso,sabemos que as altas doses de adrenalina e noradrenalina provocam problemas como aumento da pressão arterial, espasmos das artérias do coração e aceleração da frequência cardíaca.

Hoje, as doenças cardiovasculares são responsáveis por 17,5 milhões de mortes todos os anos, de acordo com a Organização Mundial da Saúde – OMS.

Sendo o estresse um grande fator de risco para a saúde do coração, as estratégias para evitá-lo devem começar a fazer parte da vida das pessoas.

Controle do estresse

O corpo humano não é feito para aguentar a carga de estresse que costumamos receber em nosso cotidiano. Sabendo disso, é fundamental minar as principais causas do estresse.

Você pode começar o controle do estresse com atividades físicas. Além de ser excelente para evitar doenças cardiovasculares, a prática de exercícios estimula a produção dos neurotransmissores responsáveis pela sensação de bem-estar, o que diminui as tensões cotidianas.

Procure também um tempo para ficar a sós consigo, em silêncio. Eu recomendo que você experimente meditar pelo menos alguns minutos por dia, a fim de restaurar sua mente e ficar menos reativo às situações do cotidiano.

Por fim, dormir é fundamental. Neste artigo, explico o que você faz para manter uma boa noite de sono sem ajuda de remédios. Quanto mais descansado, menos estressado você fica.

Espero que este artigo ajude você a entender como estresse e doença cardiovascular estão interligados.

Até a próxima!

Conheça o método para viver com muita saúde e energia.