Genética e doenças: entenda essa relação

Genética e doenças: entenda essa relação

Você deve ouvir muito sobre a relação entre genética e doenças.

Os impactos da nossa herança genética em nossa saúde nem sempre são muito bem compreendidos até mesmo por profissionais da área médica.

Afinal, de quantas pessoas você já ouviu que a obesidade era questão de genética? Ou, alguma intolerância alimentar?

No entanto, compreender as tendências genéticas de cada indivíduo segue como essencial para a manutenção da sua saúde e para a recomendação acertada de tratamentos.

Leia o artigo até o final para entender a relação entre genética e doenças.

Quando a genética camufla maus hábitos?

Em muitos anos de consultório, ouvi de pacientes que estavam acima do peso que aquela condição era um problema genético.

Aí, o indivíduo aceita essa realidade como se fosse o seu destino e segue com maus hábitos que conduzem a manter a obesidade.

Muitos desses pacientes sequer contavam com questão genética que levasse ao problema. Apenas um histórico de maus hábitos que já iniciou na família e, por isso, tantos de seus primos, irmãos, tios e outros parentes também estivessem acima do peso.

Mesmo aqueles obesos com dificuldades a mais para manter um peso saudável devido a questões genéticas, eram os maus hábitos que mantinham a essa condição.

A falta de atividades físicas e equilíbrio alimentar eram frequentes e só agravavam a questão do peso.

Da mesma forma, o indivíduo com alguma condição genética pode expressar doenças e disfunções que foram ativadas pelos maus hábitos e que, no entanto, outras pessoas da família nunca tiveram.

Ora, como pode uma doença ser genética se os pais e avós não expressaram?

Isso é possível devido às mudanças de estilo de vida. Os alimentos que seus pais ou avós consumiam quando tinham a sua idade não continham a mesma quantidade de agrotóxicos, nem eram ultraprocessados.

Assim, as chances de você expressar uma doença que está predisposto geneticamente é muitas vezes mais alta que as suas gerações passadas.

Se o seu bisavô não teve problemas com alguma intolerância alimentar, por exemplo, provavelmente é porque ele não expôs o corpo às mesmas condições que você passa hoje.

O papel da expressão genética em tratamentos

Por outro lado, a genética deve ser considerada ao examinar um paciente antes de prescrever qualquer tratamento.

Existem pacientes cuja expressão gênica levam a parâmetros de hemoglobina glicada, de glicose e de insulina alterados. Esse polimorfismo faz que esses padrões sejam alterados e não há problema nisso.

Qual o papel do profissional de saúde diante disso? Individualizar o paciente e, nesse caso específico, sempre considerar o nível da hemoglobina glicada um pouco mais alto.

Outro caso bastante comum é a suplementação do ácido fólico por gestantes. Algumas delas não podem suplementar o ácido fólico devido a uma alteração na enzima M.T.H.F.R., responsável por converter esse ácido fólico em folato para seu filho.

O folato é o nutriente de fato importante para o bebê em formação, assumindo diversas funções em seu desenvolvimento. A gestante com mutação genética nessa enzima não realiza a conversão de ácido fólico a folato.

E o que o profissional de saúde deve fazer? Nesse caso, avaliar a substituição pela suplementação de metilfolato e dosar a quantidade correta. Sem essa informação, a gestante deixa de contar com os benefícios do folato e ainda corre os riscos de sofrer com os efeitos do excesso de ácido fólico.

Esses são apenas alguns exemplos de como entender a genética pode ser importante em prescrever tratamentos.

Leia também: Alimentação e Alzheimer: entenda a relação

Como evitar a expressão de doenças genéticas?

Quando o paciente já sabe que conta com algumas tendências genéticas a expressar determinadas condições, os cuidados em relação à saúde devem ser redobrados.

Realizar alguns exames de rotina é muito importante, no entanto, nem sempre é suficiente para garantir a saúde. A adoção de hábitos saudáveis, dentro das suas possibilidades, é a melhor saída para quem deseja prevenir determinadas condições.

Eu espero que este artigo ajude você a entender a relação entre genética e doenças.

Para saber mais, assista ao meu vídeo abaixo e aproveite para se inscrever em meu canal do YouTube.

Conheça o método para viver com muita saúde e energia.

Próximo postRead more articles