Introdução alimentar: a primeira chave para uma vida longa e saudável

Introdução alimentar: a primeira chave para uma vida longa e saudável

A introdução alimentar é caracterizada pelo primeiro contato do bebê com os alimentos após os seis meses de amamentação exclusiva, seja por leite materno ou fórmula.

Quem me segue há algum tempo, sabe que não falo sobre saúde infantil. No entanto, desde o nascimento do meu filho Miguel, estou cada vez mais atento às questões que envolvem o bom desenvolvimento da criança.

Para tudo nessa vida, precisamos estudar. Por que com a criação dos nossos filhos precisa ser diferente? Eu tenho me dedicado ao máximo nesse sentido, pois entendo que, enquanto o bebê não pode tomar as suas decisões, cabe aos pais fazerem boas escolhas.

Trazer uma vida ao mundo é a primeira escolha de muitas que seguem pela infância. A introdução alimentar complementar é uma importante etapa para formar hábitos saudáveis.

Imagine se você nunca precisasse mudar a sua alimentação porque, desde cedo, aprendeu o valor e o sabor de uma refeição saudável. É essa a proposta do trabalho da minha colega Andreia Friques, nutricionista materno-infantil que admiro e que cuida da nutrição da minha esposa e do meu filho.

Antes de falar mais sobre ela, convido você a ler este artigo até o final e entender como a introdução alimentar pode ser a chave para uma vida longa e saudável.

Quanto antes cuidar da saúde, maior a longevidade

Eu costumo dizer que nunca é tarde para começar a cuidar da saúde. Eu mesmo comecei aos 27 anos, quando já trabalhava como médico.

Hoje, eu devo cada conquista que tive, em todas as áreas, ao meu novo estilo de vida. Ao despertar que tive naquela época. Com certeza, penso no quanto sofri com minha saúde durante anos. E continuaria sofrendo se ignorasse a necessidade de mudar.

Por isso, nessa minha nova fase, na condição de pai, reflito muito sobre como proporcionar ao meu filho a melhor saúde desde seus primeiros meses de vida.

Como sei e defendo que a saúde começa pela boca, vou organizar o máximo possível a nutrição do Miguel para que ele cresça cultivando esses  bons hábitos. Não apenas pela formação de hábitos, mas também pelo ganho que a criança tem em seu desenvolvimento.

Uma criança bem nutrida fica doente com menos frequência e, quando fica, recupera-se mais rápido e mais facilmente. Também desenvolve-se melhor, é mais ativa e conta com maiores chances de ter bom desempenho escolar.

Embora nunca seja tarde demais, quanto antes você começa, melhores são os resultados. Não quero que meu filho passe por metade daquilo que precisei passar. Eu não me arrependo nem um pouco de ter mudado meus hábitos. Mas, senti na pele essa dificuldade.

Quando você coloca a criança no caminho certo, fica mais fácil mantê-la longe de opções que não contribuem para a sua saúde.

Oferecendo os primeiros alimentos

Assim que o bebê dá sinais de maturidade, por volta dos seis meses completos, é possível iniciar a introdução alimentar com os primeiros alimentos. É comum ter dúvidas sobre quais alimentos oferecer e de que forma fazer que a criança coma.

Essa é uma fase de descobertas. A partir dos primeiros alimentos, a criança forma o seu paladar e a sua relação com a saciedade. São elementos essenciais para qualquer fase da vida!

Em meio a esse processo, as dúvidas mais comuns são:

  • Por qual alimento começar?
  • Quais alimentos são potenciais alergênicos?
  • É preciso bater os alimentos em processadores?
  • Papinhas de supermercado são seguras?
  • Como conciliar amamentação e introdução alimentar?

Essas dúvidas enchem as cabeças principalmente das mães, seguidas por culpa quando o bebê não aceita algum alimento ou simplesmente não come.

Aqui. listei apenas as principais questões. Ainda existem os casos de bebês que já contam com alergias alimentares, ou aqueles cujos pais vegetarianos querem mantê-lo longe de carnes.

Há, ainda, uma importante questão: sobre os alimentos que não devem ser oferecidos em hipótese alguma. Você já deve suspeitar que o açúcar não deve aparecer tão cedo no prato da criança. E o sal? Somente após um ano de idade, assim como o leite de vaca e seus derivados.

Também já entrego aqui sobre a questão das comidas liquidificadas. Evite! Você não precisa de processador de alimentos. Seu filho precisa conhecer os alimentos como eles são. Mesmo que ainda não tenha dentes, a gengiva é dura o suficiente para morder frutas e legumes.

Informações assim você encontra no blog da Andreia Friques. Mas, recomendo que você conheça um método com passo a passo detalhado sobre nutrição infantil, o qual mostro a seguir.

Resolvendo as dúvidas

Todas essas questões, e tudo mais que você deseja e precisa saber sobre introdução alimentar complementar, estão contemplados pelo Curso Bebê Vitaminado.

Você encontra todas as informações para manter a criança crescendo forte, saudável e bem nutrida em 9 módulos de conteúdo, 1 e-book sobre suplementação infantil e algumas aulas especiais.

A Andreia Friques é a profissional que ajuda a cuidar da saúde do meu Miguel. Assim como eu, ela trabalha para fazer a diferença na saúde das próximas gerações. Entendo que pais, mães e avós que mudaram os seus hábitos de vida queiram deixar esse legado para seus filhos e netos.

Para que você consiga vê-los e acompanhá-los por muitos anos, que eles também estejam cheios de saúde e possam proporcionar alegrias e muito orgulho diante de diferentes fases da vida.

Conheça agora: Curso Bebê Vitaminado.

Eu espero que você entenda a importância da introdução alimentar para uma vida longa e saudável. A saúde e o conhecimento são o maior legado que deixamos para as próximas gerações. A escolha é sua.

Até a próxima!

Conheça o método para viver com muita saúde e energia.