Será que metabolismo lento tem relação com genética?

Será que metabolismo lento tem relação com genética?

Você já ouviu que o metabolismo lento está relacionado à genética?

É muito comum encontrar essa justificativa para problemas relacionados ao sobrepeso e à obesidade especialmente de pacientes cuja família mostra essa tendência bem destacada.

Um corpo com metabolismo mais lento, como o próprio nome sugere, demora mais para digerir os alimentos, absorver os nutrientes e transformar em energia.

Mas, quais são as causas do metabolismo lento? Será que existe causa genética ou são fatores do nosso estilo de vida? Continue até o fim deste artigo para entender.

Gene FTO e metabolismo lento

De fato, existe um polimorfismo genético que pode levar o organismo a desenvolver um metabolismo mais lento. Quando falo em polimorfismo, não se trata de doença, apenas de uma condição genética desfavorável.

O gene que pode predispor ao metabolismo mais lento é o FTO, sigla do inglês para fat mass and obesity associated (FTO).

Esse gene expressa-se no hipotálamo, região cerebral responsável pela sensação de saciedade, na parte mais instintiva do cérebro. Pois influencia o controle da homeostase genética.

Assim que o alimento passa pelo intestino, esse órgão envia ao cérebro mensagens de saciedade através dos hormônios metabolizadores, que também funcionam como mensageiros químicos.

Dessa forma, o cérebro entende que as necessidades do organismo estão satisfeitas e reduz o apetite.

No entanto, quem conta com polimorfismo acaba por ter essa regulação modificada. Assim, o produto do gene FTO atua como regulador primário do acúmulo de gordura corporal.

Essa tendência dos polimorfismos não é exclusiva do ser humano, inclusive, foi detectado primeiro em camundongos. Então, por que é raro encontrar um animal em seu habitat natural que esteja acima do peso?

Basicamente, um leão na selva não encontra condições suficientes para estimular que esses polimorfismos exerçam influência suficiente sobre a sua fisiologia.

Diferente de nós, seres humanos, que estamos com alimentos ao nosso alcance a qualquer momento e é muito fácil perder o domínio sobre a vontade de comer.

Quanto menos regrada for a alimentação, menos a sensação de saciedade vai funcionar.

Como superar essa tendência?

Para saber se é portador desse gene, no entanto, é preciso realizar exames completos junto de empresas especializadas em mapear a sua genética.

Mas, caso ainda não tenha feito e desconfie de que conta com o gene do metabolismo lento, fique tranquilo. Eu também sou portador do gene FTO, e isso comprovei com exames.

Sou a prova viva de que um gene não é capaz, sozinho, de definir o futuro da saúde de ninguém.

Quem tem o gene FTO, ou, suspeita que o metabolismo é mais lento, precisa adotar estratégias específicas para manter os níveis de saciedade regulados.

Compreender o próprio organismo serve exatamente para isso: mudar o modo como lidamos com determinadas situações. Neste caso, a relação com a alimentação.

Limite o contato com a comida

O primeiro é exercendo o autocontrole em diversos momentos do dia. Um exemplo é durante o almoço não dispor dos alimentos à mesa, mas sim, apenas servir o seu prato. Assim, evita de comer mais do que o necessário.

Já falei aqui no blog sobre o mito de comer de 3 em 3 horas, o que não é saudável para ninguém, assim como não é para quem conta com tendência de metabolismo lento.

Dieta personalizada: esqueça a contagem de calorias

Também é essencial manter uma rotina alimentar personalizada às suas necessidades. Esqueça a contagem de calorias: se uma maçã e um brigadeiro contam com a mesma carga calórica, a maçã continua sendo o melhor alimento.

É preciso prestar atenção na composição da comida em si. O balanço entre calorias consumidas e energia gasta é uma conta muito pequena diante da imensa e complexa equação que o organismo calcula para suprir todas as suas necessidades.

Quanto mais calorias pobres em nutrientes, menor a sensação de saciedade.

Portanto, converse com seu médico, seu nutricionista e invista em uma vida mais saudável se quiser conquistar ou manter o peso saudável.

A sua genética não precisa ser determinante para a sua saúde. Espero ter explicado com este artigo as causas do metabolismo lento e as soluções para ele.

Até a próxima!

Conheça o método para viver com muita saúde e energia.