Mitos e verdades sobre doenças cardiovasculares

Mitos e verdades sobre doenças cardiovasculares

Existem muitos mitos e verdades sobre doenças cardiovasculares.

O que é absolutamente normal quando um assunto é popular, porém, conta com informações muito desencontradas.

Além disso, novas descobertas científicas e dados são atualizados constantemente, o que pode mexer com aquilo que já foi considerado verdade um dia.

As doenças cardiovasculares são a principal causa de morte evitável. Informações precisas podem salvar vidas.

Ovo faz mal ao coração.

MITO. O ovo é um dos alimentos mais completos para o organismo e não existe nenhum estudo que comprove a sua relação com a mortalidade cardiovascular.

Nem mesmo o colesterol da gema do ovo tem uma concentração que influencie no aumento desse risco. Se você tem dúvidas sobre os impactos do consumo do ovo para a sua saúde, converse com um nutricionista para saber sobre a quantidade diária ideal.

Apenas obesos infartam.

MITO. A obesidade apenas um dos múltiplos fatores de risco para as doenças cardiovasculares. Um sujeito magro que for tabagista, sedentário, tiver uma alimentação baseada em ultraprocessados e também tiver fortes tendências genéticas de doença cardiovascular, corre o mesmo risco.

Leia também: É possível prevenir as doenças cardiovasculares?

Homens infartam mais que as mulheres

MITO. De acordo com a Organização Mundial da Saúde – OMS, cerca de 8,5 milhões de mulheres em todo o mundo morrem por doenças cardiovasculares. Isso corresponde a um terço de todas as mortes de mulheres no mundo em escala global.

Até algumas décadas atrás, as mulheres eram menos expostas a fatores de risco como o estresse e o sedentarismo.

No entanto, com a entrada delas no mercado de trabalho e a entrada cada vez mais precoce na menopausa, acabam tão expostas quanto os homens aos riscos de sofrer com doenças cardiovasculares.

Quem tem doença cardiovascular não pode fazer exercício

MITO. Esse é um dos maiores e mais perigosos. Na verdade, o paciente que está em tratamento ou que passou por um evento de doença cardiovascular deve realizar atividades físicas recomendadas pelo seu médico.

Desde que sejam feitos na dose certa, os exercícios não oferecem riscos à saúde do paciente cardiovascular.

Coração dói

VERDADE. Acreditar que coração não dói pode levar o paciente a ignorar esse importante sintoma. A dor no peito é um dos principais sinais que a saúde do coração está comprometida.

Dores no coração diante de caminhadas exaustivas podem indicar isquemia. Ou, as mesmas dores sem nenhuma causa específica, podem significar o início de um infarto. Procurar ajuda é fundamental.

Consumir gorduras faz mal

DEPENDE. É muito importante entender que existem diferentes fontes de gordura e doses ideais de cada uma delas para cada indivíduo.

A gordura trans é totalmente industrializada e prejudicial ao coração. Portanto, a tolerância é zero: deve ser evitada ao máximo. Já as gorduras saturadas, poli-insaturada e monoinsaturadas devem fazer parte do seu cotidiano para manter um coração saudável.

Gostou desses mitos e verdades sobre doenças cardiovasculares?

Eu espero que este artigo seja esclarecedor a você.

Para saber mais, assista ao vídeo abaixo e aproveite para se inscrever em meu canal do YouTube.

Aprender a prevenir as doenças cardiovasculares pode salvar uma vida!

Este conhecimento é útil para pacientes com condições cardíacas, seus familiares, profissionais da saúde ou para quem deseja viver com saúde por longos anos.

Por isso, eu e meu colega Dr. Túlio Sperb criamos o Curso Forte Coração.

Conheça agora: Curso Forte Coração

Até a próxima!

Conheça o método para viver com muita saúde e energia.