Por que meus exames laboratoriais estão normais se me sinto doente?

Por que meus exames laboratoriais estão normais se me sinto doente?

Doutor, por que meus exames laboratoriais estão normais se me sinto doente?

Meus pacientes trazem muito essa dúvida até mim. Além disso, trata-se de uma dúvida geral de quem me segue pelas redes sociais.

Não é raro alguém sentir uma condição de mal estar recorrente e sentir-se sozinho, em busca de uma resposta. Afinal, é complicado ouvir do médico que “tudo está bem” quando você mesmo sabe que não se sente bem.

Essa questão tem uma resposta bem simples que, infelizmente, não privilegia a particularidade de cada paciente. Para entender, continue até o final deste artigo.

A verdade sobre os exames laboratoriais

Quando você se submete a algum exame de sangue, por exemplo, ao verificar os resultados, provavelmente você vai identificar alguns valores que dizem o que é “normal”. Se tais valores estão dentro daqueles valores, você está bem. Se estiverem acima ou abaixo, você está com algum problema.

Ocorre que existe um cálculo matemático realizado pelos laboratórios para criar uma média padrão para a população. Em geral, a estimativa é que 95% das pessoas que fazem tais exames têm resultados dentro do que é considerado “normal”. Por isso, dificilmente você vai descobrir alguma anormalidade no seu organismo por meio de algum desses exames.

Quando eu soube disso, como médico na condição de paciente, fiquei muito frustrado. Ora, qual seria a função de um médico senão interpretar os números desse exame?

Os números que servem como valores de referência, portanto, não são relacionados à medicina, mas sim a uma estatística dos próprios laboratórios – que sequer é bem esclarecida.

Leia também: Como identificar a alergia alimentar?

O perigo de olhar apenas os números

Os exames laboratoriais por si só não consideram as variáveis e particularidades que compõem cada ser humano. Imagine que a taxa de testosterona recomendada para um homem de 40 anos é bem diferente daquela que deve ter em um rapaz de 15.

De acordo com as referências presentes nos exames laboratoriais, se ambos estiverem com os mesmos números dentro daquela média, estarão “normais”. O mesmo vale para medir hormônios femininos, sempre ignorando se a mulher faz uso de anticoncepcionais, se já foi mãe, entre outras questões minuciosas que fazem toda diferença.

O pior desse tipo de métrica é que acaba por medir uma grande quantidade de pessoas com a mesma régua. Reflita sobre o uso de medicamentos para colesterol por meio da faixa etária de 50 anos. Os valores referência do exame são diretamente influenciados por eles.

Assim, quanto maior o consumo de medicamentos para baixar o colesterol, menores serão os valores considerados “normais”. Imagine o cidadão que nunca fez uso desse tipo de remédio em sua vida. Ele acaba “empurrado” a iniciar a medicação.

Às vezes, o desconforto que ele mencionou ao procurar pelo médico sequer tinha relação com o colesterol. Ou então, era um exame de rotina e “descobre o problema”, considerando uma grande vantagem.

Essa questão deve trazer uma reflexão sobre a importância da medicina personalizada em que cada indivíduo seja examinado da maneira como deve ser: como um ser único e levando em conta todo o seu contexto.

Em vez disso, infelizmente, os exames servem como uma comparação a outros, o que torna a questão da investigação do que acontece no organismo bastante ineficaz. Quando um terceiro serve de parâmetro, ainda que seja um grupo, pode ser que você se sinta mal e nunca descubra o porquê.

Espero que este artigo ajude você a entender sobre os casos dos exames laboratoriais “normais” mesmo quando sente que algo está errado.

Para saber mais, assista ao vídeo abaixo e aproveite para se inscrever em meu canal do YouTube.


Para saber:

como envelhecer sem engordar, sem adoecer e sem perder a memória
como emagrecer com saúde e manter-se magro definitivamente
Como mudar hábitos que são tóxicos a sua saúde
Como acordar todos os dias com energia e disposição
Como se livrar de remédios que mais intoxicam do que curam
Como manter a libido em todas as idades

Conheça o meu curso on-line com mais de 80 aulas, 3 cursos bônus e
um grupo com LIVES exclusivas para alunos no Facebook!

SEGREDOS PARA UMA VIDA LONGA
Acesse mais informações no site do curso:

Segredos pra uma vida longa

Conheça o método para viver com muita saúde e energia.

Próximo postRead more articles