Qual a importância da composição física para a saúde?

Qual a importância da composição física para a saúde?

Ter uma boa composição física resulta em uma série de melhorias no corpo: muito além do estético, garante saúde e longevidade.

Hoje, quero dissipar um grande mal-entendido acerca do ganho de massa muscular. Afinal, queimar gordura e ganhar músculos se trata meramente de uma estratégia puramente estética, para pessoas que desejam ficar “saradas”?

Qual a importância da composição física para a saúde? Continue lendo para entender mais sobre o assunto.

Entendendo o papel do músculo

 

Composição física é o termo que se refere à distribuição das quantidades de tecido muscular em relação à quantidade de tecido adiposo (gordura) e também com relação à quantidade e qualidade dos ossos.

Após diversos estudos e pesquisas, hoje consideramos o músculo não somente como um tecido muscular mas também como um tecido glandular.

Isso porque que o músculo secreta uma série de elementos bioquímicos responsáveis por provocar diferentes benefícios e estímulos aos órgãos do corpo humano.

Portanto, possuir uma boa quantidade de músculos é extremamente benéfico ao organismo, especialmente àqueles sistemas que dependem dos estímulos enviados pelos músculos.

Na contramão dos benefícios gerados pelo tecido muscular, existem alterações prejudiciais causadas pelo tecido adiposo, a gordura.

Doenças degenerativas e cardiovasculares, diabetes e inclusive o câncer são apenas alguns dos problemas que o excesso de gordura pode trazer ao indivíduo.

A obesidade guarda perigos desconhecidos pela maioria das pessoas. Clique e leia sobre meu artigo “As Consequências da Obesidade Hoje”. 

Como podemos nos livrar dessa gordura?

 

Primeiramente é preciso entender um pouco mais sobre o processo de chegada das calorias ao organismo. 

A glicose, responsável por gerar energia para o corpo, uma vez em nosso organismo passa a ser armazenada em parte pelo fígado, em parte pelos tecidos musculares e em seguida pelos adipócitos (a gordura branca).

Ora, fica muito claro que, quanto menos músculo o corpo possui, menos essa energia será absorvida por eles e consequentemente acabará sendo armazenada no tecido adiposo, causando o aumento de peso.

Quanto maior a quantidade de músculos que temos em nosso corpo, mais energia podemos armazenar e consequentemente gastar, acelerando o metabolismo e o mantendo elevado.

É possível entender que se você tem pouco músculo, percentualmente você tem mais gordura.

Um ponto importante a ficar atento é que, mesmo sendo relativamente magro, o percentual de gordura de um indivíduo pode ser alto.

Por exemplo: se uma pessoa possui 100 kg, e desses, 50 kg são de gordura e os outros 50 kg são de músculos. Logo, o percentual de gordura é de 50%. Essa quantidade é muito elevada!

Mas se outra pessoa tem 10 kg e 5 kg são de gordura e os outros 5 kg são de músculos, ainda assim o percentual de gordura é de 50%, pois é uma questão de proporcionalidade. 

Ou seja: não é tanto sobre o seu peso total que está no visor da balança, mas da distribuição deste peso entre músculo e gorduras.

Para mudar essa situação

 

Nem sempre para diminuir um percentual elevado de gordura é necessário perdê-la.

Em muitos casos, apenas o aumento de massa muscular já faz com que o percentual de gordura baixe.

Mesmo que não haja a perda de gordura, a partir do momento em que a quantidade de músculo é maior, as mudanças já podem ser visíveis. 

Quem deseja promover a hipertrofia (o aumento da massa muscular) deve ficar atento ao combustível dos músculos.

Explico:

O músculo “se alimenta” de muita energia. Bem, isso não significa que sua alimentação deva conter somente carboidratos e gordura para promover essa boa “alimentação”.

Para que os músculos se fortaleçam, é preciso incluir boas proteínas em sua dieta. 

Isso ocorre porque a fibra muscular é feita de aminoácidos (proteínas) logo essa é a peça principal para a boa funcionalidade dos músculos.

O reino animal e vegetal está repleto de proteínas de ótima qualidade que podem ser consumidos ao longo do dia.

À este cuidado, alie: prática de exercícios físicos com regularidade (exercícios de resistência de preferência), boas noites de sono (essenciais para que ocorra o reparo dos tecidos), boa ingestão de água e uma boa condição hormonal.

Sabe-se por exemplo que mulheres que fazem o uso de anticoncepcionais hormonais ficam depletadas do hormônio Testosterona: que é exatamente o hormônio mais importante para os músculos e para o ganho de massa magra!

Leia aqui sobre A Revolução do Equilíbrio Hormonal Feminino. 

 

Corpo e mente sãos por muitos anos

 

Por fim, o objetivo de se melhorar a musculatura nada tem a ver com benefícios estéticos, ou para agradar ao espelho.

Um corpo saudável por dentro exulta saúde por fora, e um corpo saudável e bonito é consequência das práticas citadas anteriormente.

Aumentar a massa muscular cria um status metabólico extremamente benéfico, protege a saúde cerebral e cardiovascular, além de agir diretamente ou indiretamente no:

  • Controle do peso
  • Melhora do perfil do lipidograma
  • Melhora o humor
  • Aumento da produção de energia
  • Sono equilibrado
  • Maior apetite sexual

Cerca de 85% da sua saúde depende de seus hábitos e de suas escolhas diárias. Escolha envelhecer com vitalidade, com força e com fôlego, bem longe de doenças debilitantes.

Victor Sorrentino

Conheça o método para viver com muita saúde e energia.